Desenvolvimento Econômico e Sustentável

Um dos objetivos do Ato Cidadão é a elevação das ofertas de emprego e renda da população impactada. Para isso, utilizamos em nossa atuação capacitações e estratégias orientadas ao empreendedorismo social. Dentro disso, acreditamos que práticas sustentáveis são fundamentais.

Em um contexto de condições extremamente desfavoráveis, no qual há um comprometimento do sustento e poucas possibilidades profissionais, a inclusão econômica e social torna-se imprescindível. Isso é feito com a partilha de conhecimentos, que gera oportunidades diversas para essas pessoas.

Nossos projetos propõem ações diretas, com foco em capacitação, formação e informação a respeito das possibilidades empreendedoras e elevação da oferta de emprego.

Nossa atuação é norteada pelos seguintes princípios:

  • Participação de beneficiários e organizações em todas as fases e atividades;
  • Autonomia do beneficiário, incentivando sua tomada de decisão e capacidade de desenvolver ações por livre iniciativa;

Como principal efeito positivo, temos o rompimento do processo de exclusão por meio do desenvolvimento da habilidade empreendedora. Há uma aprendizagem social e laboral que diminui a exposição a riscos sociais e econômicos existentes.

Nossa linha de atuação reafirma a solidariedade, amplia o exercício da democracia e da cooperação. Além disso, incentiva em todas as suas ações que os beneficiários adquiram autonomia, protagonismo, liderança e empoderamento.

A estratégia primária segue um curso simples. Primeiramente, os arranjos iniciais para sua implantação são estabelecidos. Em seguida, gera-se aprendizagem profissional e o despertar de conceitos de empreendedorismo por meio de sensibilização. Por fim, é estabelecida a sistematização permanente das informações e resultados, garantindo resultados perenes para essa população.

Nossa articulação local possui quatro níveis:

  1. Estabelecimento de parcerias com poder público;
  2. Busca de apoio de empresas;
  3. Busca pela integração da sociedade civil (especialmente lideranças comunitárias locais);
  4. Inserção, por meio das parcerias, do beneficiário na cadeia de valores mais próxima da sua realidade e aprendizado. O foco é a expansão de oportunidades.

 

Detalhamento das articulações 

Ações com o poder público:

  1. Conquistar espaço para execução das atividades;
  2. Mobilizar e convocar os públicos-alvo;
  3. Levantar informações econômicas e sociais da cidade;
  4. Combinar os atuais programas sociais com a linha de atuação;
  5. Criar relacionamentos perenes, planejando intervenções futuras.

Ações com empresas:

  1. Construir relacionamentos com o objetivo de realizar parcerias;
  2. Angariar apoio buscando sensibilizá-las para a importância da ação
  3. Viabilizar, se possível, a comercialização dos produtos desenvolvidos.

Ações com lideranças comunitárias:

  1. Aproximar o projeto da comunidade;
  2. Construir com a sociedade civil uma relação de solidariedade com o projeto;
  3. Expandir as possibilidades dos beneficiários e da própria economia local;
  4. Replicar a ação por meio de atores locais.

Inserção na cadeia de valores:

  1. Formação técnica com capacitação adequada para atuação profissional e/ou para a constituição jurídica (para o empreendedor);
  2. Aproximação com redes locais para estudos de viabilidade;
  3. Inserção na geração de renda e escoamento de produtos.

Posteriormente, ainda se objetiva:

  • A promoção do desenvolvimento econômico e social;
  • Fomentar o desenvolvimento ecologicamente sustentável por meio de estudos, pesquisas e divulgação das causas de problemas sociais e suas possíveis soluções;
  • Promoção de atividades socioculturais;
  • Promoção e aprimoramento da ética, paz, cidadania, direitos humanos, democracia e outros valores universais;
  • Promoção do voluntariado.

Atualmente, nossa linha de atuação se encontra em curso nas seguintes cidades: Ibirarema, Espírito Santo do Turvo e Santo Anastácio. Trata-se do oeste do estado de São Paulo, no qual parcela significativa das pessoas sobrevive, essencialmente, da produção canavieira, atividade que encolheu muito após períodos de crise. O projeto, portanto, trabalha para desenvolver estratégias de recuperação da empregabilidade da população impactada.

Como principal efeito positivo de nossa atuação, temos a quebra do processo de exclusão socioeconômica. Isso se dá pelo desenvolvimento da capacidade empreendedora e de uma aprendizagem social e laboral que diminua a exposição aos riscos existentes. Assim, cria-se uma perspectiva de recuperação para essas famílias.

Ao reafirmar a solidariedade, o projeto aponta para uma alternativa coletiva de solução enquanto permite o exercício da democracia e a cooperação. Incentiva-se, assim, que os beneficiários adquiram autonomia, protagonismo, liderança e empoderamento.